Dando asas aos sonhos

Fabio Davi tem 19 anos e mora em Pires Ferreira, sua cidade natal, um município com pouco mais de 10.000 habitantes, no interior do Ceará. Ele é apaixonado por Paleontologia, mas confessa que nunca teve a oportunidade de visitar um museu.
DSC00848
Fabio Davi e seus alunos
Fabio gosta de todo tipo de arte e é fascinado por escrever. Está temporariamente cursando Administração em sua cidade, mas seu sonho é se especializar em algo no ramo das ciências paleontológicas ou da arte. Ele acredita que existem muitas crianças talentosas no mundo, o que falta é "só um pouquinho de estímulo para desabrocharem". Uma das coisas que mais lhe trazem alegria é "poder alimentar sonhos e ajudar jovens talentos".
O Colecionadores de Ossos convidou Fabio Davi para conversar um pouco sobre o lindo trabalho que ele vem realizando com jovens de sua região. A nossa expectativa é que o seu relato inspire atitudes semelhantes a se proliferarem ao redor de nosso Brasil, e que pessoas como Davi se sintam ainda mais confiantes em continuarem buscando realizar seus sonhos.
Texto por Fabio Davi:
"A Paleontologia sempre me fascinou. Desde a infância desejei estar em um sítio paleontológico e ver surgir em meio à fragmentos de rocha e areia uma descoberta que pudesse contribuir com o quebra cabeça gigantesco e complexo que são os mundos esquecidos que a paleontologia revela.
Durante algum tempo comecei a desenvolver algumas técnicas para construir meus próprios fósseis e fazer reconstituições de animais. Cinco anos se passaram e a cada dia me envolvi cada vez mais com essa atividade, criando um forte vínculo com a área da Paleontologia. Com o tempo, percebi que mais do que produzir e descobrir, a sensação mais gratificante é a de compartilhar conhecimento com o próximo.
DSC00839
Alunos da Escola Joaquim Gomes de Lima, Pires Ferreira, CE
Desenvolvi um projeto junto à Escola Joaquim Gomes de Lima com as crianças do 4º e 5º ano na Cidade de Pires Ferreira, no Ceará, onde foram realizados um total de dois encontros. Esses encontros só foram viáveis por meio do apoio dos professores e coordenadores locais, como Dona Francisca Gomes e Sra. Núbia.
No primeiro encontro, os alunos puderam conhecer o universo da Paleontologia, envolto estranhos nomes e muitas curiosidades. Eles foram apresentados também ao conceito até então estranho de Paleoarte.
Nessa ocasião tudo foi muito fascinante pra eles e pude identificar muito empenho e vontade de aprender.
DSC00835
Tudo tem uma pitadinha de diversão aos olhos das crianças, o que deixa o ambiente leve e agradável.
No segundo dia de estudos, as crianças tiveram contato com o que seria um 'sítio paleontológico'. Esse foi preparado cuidadosamente com réplicas que produzi. Os olhinhos estavam ansiosos por descobrir o que havia embaixo dos sedimentos. Como a sala continha 21 estudantes, tive que dividi-la em equipes, para que todos pudessem escavar um pouquinho os diversos 'fósseis' que ficavam espalhados pelo local.
Cada equipe era organizada entre os que trabalhavam nas anotações, os que faziam o diário de campo, os que escavavam e os descreviam as características do ser.
Os sorrisos expressam o momento da descoberta.
Os sorrisos expressam o momento da descoberta.
Os fósseis eram, na verdade, placas de cimento que esculpi cuidadosamente, já as réplicas menores foram produzidas com argila.
DSC00862
Esta equipe de 'pesquisadores' ficou muito intrigada com o que conseguiu escavar: vestígios de um réptil há muito extinto!
Curiosidade, ânimo e muitas comemorações. Acredito que a experiência desses jovens não tenha sido muito diferente das emoções que envolvem um paleontólogo ao encontrar algo tão raro e precioso.
Seguem aqui alguns depoimentos a respeito das aulas realizadas, para que se conheça como foi experiência para eles:
Paulo Átila, 09 anos de idade, 4º ano.
“O que eu mais gostei foi quando os ossos começaram a aparecer no meio da terra e quando descobrimos como eles se chamavam”.
Maria Eduarda, 11 anos de idade, 5º ano
“Gostei muito porque aprendi a escavar os fósseis de animais extintos. Foi muito interessante”.
Francisco Heliton, 10 anos de idade, 4º ano.
“Gostei muito da Paleoarte, é muito interessante descobrir os seres que já existiram na terra”.
 DSC00904DSC00903DSC00905
Estes são alguns dos momentos do meu trabalho, espero poder continuar à disseminar ainda mais sobre esse mundo tão vasto, admirável no passado e o presente, a Terra."
DSC00872
Fabio Davi, parabéns pelo esforço e pelo belo trabalho!!
É maravilhoso ver como a Paleontologia, em qualquer meio em que se desenvolva, inspira os jovens, instiga sua curiosidade e desperta nas crianças o gosto pela ciência e pela descoberta.
Quem quiser conhecer mais sobre as realizações de Fabio Davi, visite o seu incrível blog: daviartesemanias.blogspot.com.br - onde ele fala mais sobre suas artes e manias!
Alimentar sonhos vale a pena!

Tito Aureliano

Author & Editor

Professora, Doutora e apaixonada por Paleontologia, me dedico, além das pesquisas, à divulgar ciência para o público geral.